Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Para Nossa Alegria

Olha, tem algumas coisas que valem por si só... e ficam na nossa história.

Seguinte: todo mês recebemos uma planilha de treino - todos que correm com um acompanhamento profissional sabem como é. E a planilha determina que treino será efetuado  a cada dia, volume, intensidade, etc. Certo?


Basicamente, entre tantas outras variáveis, temos o tempo de cada treino, a velocidade/ pace esperada e a distância a ser percorrida. Tempo x Velocidade x Distância (entre outras). Tempo x Velocidade x Distância. Captaram? Ok.


Pois bem, quando não há observação na planilha, devemos usar o tempo do treino como parâmetro (40 min., 60 min., etc.), caso contrário, segue-se a observação: 16K ou  3 x (15') = 3 x (10' 8,0Km/h + 5' 10,0Km/h).


Assim, em um dos dias, a planilha determinava o seguinte na observação: subir 2X a ladeira da Igreja. E o tempo de treinamento: 40 min. num dia, 60 no outro.


Temos 2 colegas: um "menino" e uma "menina", que vamos chamar de Pocahontas e Thundercat, pelos quais temos um apreço enorme, e que, em dias diferentes, foram treinar conosco.


Na 1a vez, Pocahontas


"Hoje tenho que correr 40 minutos e subir 2X a ladeira da igreja. Já me preparei pra essa ladeira, vamos nessa?"
"Vamos!"
"Vocês vão correndo ou andando até a ladeira?"
"Oi?"
"Nós vamos andando ou correndo até a ladeira?"
"Como assim, Pocahontas? São 40 minutos, cada subida leva cerca de 13 minutos. Assim, vamos correndo, subimos 2X e ainda corremos mais um tanto"
"Nãããããoooooo. A planilha manda subir 2X, vim preparada psicologicamente pra isso, se eu subir em menos tempo, paciência"
"Mas essa subida não leva os 40 min., hoje são 40 minutos INCLUINDO as 2 subidas"
"Ahhhhhh, não, nada disso, não vale, não pode ser, vou falar com Ulisses"


Na 2a, Thundercat:


"E aí? Hoje são 60 min., subir 3X a ladeira da igreja, mas acho que a gente mata em menos" 
"Oi?"
"3 subidas, mas em uns 40 min. a gente termina"
"Ô, Thundercat, o treino hoje são 60 minutos, INCLUINDO as 3 subidas, para nossa alegria"
"Que nada, Roberto, a planilha manda subir 3X. Pronto"
"Thundercatzinho, você também quer ir andando até a ladeira?"
"Como?"
"Vai falar com Ulisses... não sei porque, mas acho que ele já ouviu a pergunta que você vai fazer..."  

Não posso negar, foram 2 noites que me diverti muito, depois de um dia de trabalho. E, claro, relato aqui com todo carinho e agradecendo a Pocahontas e Thundercat pelos momentos de descontração que nos proporcionaram. Eles sabem o quanto gostamos deles.


Essas vão ficar na memória. E que ninguém me peça para dizer quem são, eles que levantem o dedo, SE quiserem....






Tá, eu sei que esse é Lion, mas é o líder dos Thundercats, certo?
 Também tive infância...





Noite de Terror (A Falta que Faz um Cérebro)


Recebi esse Post do Fábio (run2b.com.br). Independente de ser ou não engraçado (e não é), a que ponto chega a "criatividade" humana.

As imagens falam por si - e como falam.




E fiquemos com alguma luz de que existe inteligência no mundo: sim, ela continua entre nós:


Vale quando damos Ibope a um programa, vale quando escolhemos nossos governantes... vale sempre.



segunda-feira, 28 de maio de 2012

Segunda de Treino

Musculação, depois corrida.

Aproveitei para dar uma olhada na torção, já que faço musculação onde também tenho fisioterapia. Veredicto: Torção superficial gerando um edema. O recomendado, é parar na hora e cair no gelo. Eu até pensei em voltar quando torci, ainda no Km 1,5, mas embalado que estava, percorri os 8,5K restantes.

Sorte que não foi nada mais sério, se não, estava acabado - Deus protege os inconsequentes e loucos.

Corrida de 35 min. que viraram 30, por sugestão do treinador, debaixo de chuva (adoro uma chuvinha, de leve) e voltando aos treinos. Sábado serão 18K, o último longão antes de Floripa ( ! ). Não, não vou ter corrido 21K antes da Meia, não vou, não.... foi o que se pode arranjar, tendo em vista o cronograma apertado.

Hoje corri morrendo de medo de encontrar uma depressão assassina e comprometer Floripa, e buraco é o que não falta por aqui. Agora, eu com medo de buraco, chovendo, e sem poder pular as poças pra não ter outro problema. E as calçadas molhadas

Acho que só vou relaxar 17/06, lá pelas 10:20..... rsrsrsrs.





Fotos Fila Night Run

Recebi as fotos da Fila Night Run do Adriano Stolze, que se revelou um ótimo fotógrafo.

Foi há tão pouco tempo, e já relembrei com saudade - bem, nem tanto, né? Uma torção não é nada agradável, mas... c'est la vie.

Antes da prova:






Alongando:










Procurando o fotógrafo:








Outras fotos do pessoal:






Carlão atrás de Johnson...rsrsrs 


Em julho temos a Meia Maratona da Caixa, e, em agosto, o Circuito da Estações Adidas Inverno. Vamos que vamos !





domingo, 27 de maio de 2012

Limites e Teimosia

Estava conversando com Tiago depois da prova. Ele dizendo que fez os 10K abaixo de 1:00 em POA com um clima bom, estava com um pessoal que corria, etc., mas que deu um sangue para terminar nesse tempo e ainda mais no final, quando sentou a bota.

Resultado: terminou enjoado e com vontade de vomitar.

"Isso foi porque você passou do seu limite. Tente segurar um pouco e treinar para terminar bem nas próximas provas", disse.

E veio aquela história de não retroceder, etc. Essa eu conheço bem: se dá, por que não fazê-lo? 

Aí eu disse: "Você termina mal, enjoado, tonto, e com uma sensação de que nunca mais quer correr, não dá".

Ele grita: "Você também já sentiu isso??". 

"Já, sim, algumas vezes. E sempre serve pra lembrar que estou além do que deveria, seja no pace, seja por causa do dia, preparo, etc."

Achei engraçado, mas lembro que, na 1a vez que tive essa sensação, fiquei aterrorizado, achando que nunca mais ia pisar numa pista. Sorte que dura apenas alguns segundos - no meu caso - e logo depois já estamos acelerando pra tirar o atraso.

Vida dura e doce, essa...






Fila Night Run: A Prova

Em primeiro lugar, para quem participou da prova em Sampa, com toda (des)organização, a de Salvador funcionou: começou na hora, ninguém atravessando a pista, enfim, uma prova como esperada. Nada demais, mas com a organização padrão.

Vamos lá: muitos corredores da Authentic marcaram presença. Dentre as que participei, foi uma das que mais gente compareceu. O clima de uma corrida noturna é diferente, e temos bem poucas opções na cidade. Então a confraternização, o bom humor, as fotos, conversas animadas, tudo fluiu bem e de forma bastante divertida e agradável.

Lorena acordou com uma forte indisposição, almoço e jantar foram embora e ela não teve condição de correr, mas foi me acompanhar. Não era o que esperávamos, mas foi o possível.

Na minha última prova de 10K, fiz em 1:11:20. Como o objetivo é a Meia, o foco tem sido a distância em detrimento do pace. Após Floripa, muda a estratégia. O objetivo, portanto, era se divertir, testar o condicionamento e baixar o tempo. Tiago, primo de Lorena, fez o Circuito das Estações Inverno em Porto Alegre (está temporariamente lá, apesar de morar em Salvador) em 0:59 (média de 10 km/h). A minha, fica em torno de 8,8 km/h. Mas as condições lá são bem diferentes, e isso pesa significativamente.

Pronto, vou junto com ele, que melhoro minha marca "por osmose". Ele será meu "coelho". E, após alongarmos, fomos pra largada que estava lotada. Passamos pelo portal com 5:42 de prova.

Cometi meu primeiro erro: comecei forte (9,2/ 10,1 km/h), acima do meu ritmo de treino, quando deveria ter iniciado abaixo dele e ir aumentando no decorrer da prova. Mas havia muita gente para desviar, e estava bem (energia sempre sobra no início). Só que a conta sempre vem.

No Km 1,5, torci o pé esquerdo num declive entre a rua e a calçada (as ruas aqui têm camadas e mais camadas de asfalto, causando essas aberrações). Dor! Intensa! Droga! Pensei em parar ali mesmo, pois além da dor, veio o medo do pé inchar e de causar um problema ainda maior, mas estava "embalado" e olhava para o pé doendo e continuava correndo, a dor diminuindo (ou ficando dormente, vai saber), e avaliei que havia sido apenas um mal jeito. Resolvi continuar.

Assim, Tiago sumiu na frente. Viviane, que estava conosco, também. Tive que diminuir, até entender o estrago da torção. Poxa, havia perdido meu coelho... Pouco tempo depois, passa por mim Priscila, também do grupo, que corre bem. Oba, outro coelho! Mas, quando bati em 10,6 km/h e ela continuou se afastando, percebi que outro coelho havia partido.

Ajustei o ritmo e reencontrei Viviane, que corre legal, mas estava sem treinar há um tempinho e pudemos ajustar o rirmo. Bom. Pouco tempo depois vi Tiago e parte do pessoal do grupo passando de volta. Pensei: Pronto, agora fiquei mesmo. Mas logo adiante vi o retorno e aceleramos animados (bati nos 9,7 km/h).

Lá pelo Km 5,5, o ritmo mais forte do início e o pé me fizeram segurar e Vivi seguiu. Percebi que, pelas placas da organização, a contagem deles divergia em relação ao meu Polar (e depois soube, dos Nike e Garmin também) em cerca de 500m , para mais. Ou seja, a prova tinha cerca de 9,610K. Eu sempre soube que a distância é determinada pelo menor percurso, e caso não sigamos esse trajeto, a distância é maior, mas menor, eu nunca vi...

Bem, qualquer prazer me diverte, e entre o Km 6 e 7, o pé começou a dar pontadas, as costas doeram (nunca mais haviam dado sinal de vida), e senti uma dor na parte posterior do joelho esquerdo (vida de corredor não é mole). O que me preocupou, foi, claro, o pé. Mas, teimando, e como e dor não era lancinante, segui em frente. Não sem antes descer uma escadinha para a praia e fazer um xixi (a prova em Salvador é realizada na orla). 

Aliviado, segui em frente. Km 8 e eu não largaria o osso por nada. Olhei pro relógio e vi que dava, apesar de tudo, pra fazer em menos de 1:11. Ah, faltando 1,5K voltei aos 9,3 km/h, 10,1, 10,7,....e fui em 9,4 km/h até o final, fechando em cerca de 1:08, eu já nem sei, porque o que o meu Polar marca não é mais parâmetro, pois a distância errada compromete qualquer avaliação, mas deve  ter sido daí para baixo, ainda não recebi o SMS com o resultado.

Ou seja, uma prova difícil, com erros meus e acidentes de percurso, mas terminada na raça e com satisfação. Não foi como queria, mas foi o possível hoje (no caso, ontem, pois já estamos no domingo).

Só uma observação: no final havia uma banda que tocava até bem, e mandou ver no Asa de Águia, entre outros, mas o pessoal terminou a prova e saiu rapidinho, deixando o show quase vazio. Uma pena.


Vamos ver como o pé vai acordar, nesse momento, temos 2 sacos gelados abraçando-o para tentar minimizar sei lá o que, só sei que dói e ele vai acordar inchado, ô se vai. Mas largar a corrida faltando 3K, só por obra a graça do Nosso Senhor, e como ele é meu brother . . .  





Em pé, da esq. para a direita: Eu, Lorena, Raquel, Tiago e Viviane
Sentados: Madson, Cris e Priscila






Em pé, da esq. para a direita: Raquel, Madson, Lorena, Eu, Viviane e Tiago
Sentadas: Cris e Priscila




Falta pouco, a próxima é Floripa!





sexta-feira, 25 de maio de 2012

Fila Night Run: o Kit


Hoje começou a entrega do kit da Fila Night Run, na Centauro do Salvador Shopping.

Tudo calmo e tranquilo, a não ser pela máquina de impressão dos nomes na camisa, que teimava em não funcionar (na verdade, o computador que mandava os nomes para a máquina).

Eis o movimento:




E eis o kit (camisa, sacola, garrafa de alumínio, bolacha com manteiga, número do peito, cupom de 10% de desconto na Centauro  válido até amanhã e folder do Powerade):




Já vi kits melhores, mas, não tem nenhum ítem de qualidade ruim. Quem assina a O2, grava o nome na camisa de graça, para os não assinantes, custa R$ 16,90.

Agora é correr !



quinta-feira, 24 de maio de 2012

Vencendo os Medos


Treino de 40 min., semana sem correr por causa da dor, tornam as coisas mais difíceis, mas, no final, correu tudo bem, apenas com algumas pontadas.

Vai melhorando, não é o fim, como o medo me fez imaginar, e a confiança de que Floripa pode dar certo toma forma.

E amanhã começa a entrega dos kits da Fila Night Run. Sábado espero deixar esse fantasma para trás.

Avante!







Quer Ganhar um Par de Tênis de Corrida?

1-) Quando comecei o Blog, pouco antes do Carnaval, era mais para compartilhar idéias sobre a prática de corrida e trocar comentários e experiências.

Na prática, o feed-back foi qualitativamente positivo, muita gente comentou nas nossas conversas, porém, a discussão  aqui ainda não aconteceu, em parte, pelo comportamento de muitos de não se tornarem membros nem comentarem os posts, e de outros tantos, que dizem ter dificuldade para fazerem isso.

Ou seja: muitos gostam, comentam ao vivo, mas aqui terminamos com poucas contribuições do pessoal, e deixamos de aproveitar relatos, dicas e experiências importantes.

Mas é uma questão de hábito, pois no Facebook, muitos participam, o que mostra que a interface digital não é problema para a maioria.

Assim, para criar esse costume e aumentar a participação, criamos uma campanha bem legal.


OBJETIVO: Aumentar o número de membros do Blog, e os comentários nos posts.

PRÊMIO: Um par de tênis de corrida (modelo, cor, marca, a ser definido em função da numeração do vencedor e disponibilidade de estoque).

REGRAS (mais simples, impossível):

1-) Para participar, ou a pessoa já é membro, ou se torna um. Isso feito, convida pessoas para se tornarem membros.

2-) Cada novo membro faz um comentário neste post, informando o nome e sobrenome de quem o indicou. Só isso.

No dia 20/06/2012, FINAL DA PROMOÇÃO, levantamos nos comentários, o nome que mais foi citado. Essa pessoa será a ganhadora. Mas, para ganhar, tem que ter trazido, pelo menos, 5 membros.



Resumo: Você convida pelo menos 5 pessoas para tornarem-se membros do Blog, essas pessoas fazem um comentário neste post dizendo seu nome e sobrenome. Pronto!

O prêmio será entregue pessoalmente ou por motoboy, para residentes em Salvador, e por PAC, para demais cidades do Brasil. Residentes no exterior não receberão o prêmio. Podem participar e indicar alguém para receber o prêmio no Brasil, ok?

A partir de agora, só serão considerados comentários de pessoas que não são membros até esta data, ou seja: um membro atual não pode fazer um comentário citando o nome de outro membro.

Só não vale comentários de "Anônimos", por uma questão de justiça, ok?



PARA SE TORNAR MEMBRO:



É muito fácil e simples. Basta seguir esses 3 passos:

1-) Na página principal, clique no ícone ao lado de: PARTICIPAR DESTE SITE.







2-) Vai abrir uma janela com os membros. Clique em SEGUIR.





3-) Basta ter uma conta no gmail, Twitter, ou Yahoo, e clicar no ícone correspondente. Se você não tiver uma conta em nenhum desses serviços, faça uma, é rápido e você ainda passa a ter acesso a mais serviços.






Simples e rápido.


É uma ótima oportunidade para você, que corre, testar um novo modelo, para quem ainda não corre, começar já! Quem não quiser ter uma vida mais saudável, ou praticar outra atividade, pode usar o tênis para passear, ou mesmo doar para uma pessoa que precisa e pratica a atividade. 


Assim, todos saem ganhando !


Boa sorte !









Dedicação é isso !

Saiu na Runner's World: entrevista com a corredora Lolo Jones. Aos 28 anos disse ser virgem e que espera casar para deixar de ser.

Olha, não sei, mas se comprovarem que isso produz resultado prático e virar moda, não sei como vai ficar a próxima geração....






Invicta

      Lembra aquela menina mais ajeitada da faculdade? Não. Não essa. A melhor que essa. Lembrou? Isso. Então. Imagine que a moça tenha seguido carreira de atleta, corpitcho e tal e, no auge de seus 28 aninhos, vai à televisão e diz que tem feito um baita esforço para continuar...virgem!
      Yep! Virgem. Foi o que fez a corredora americana Lolo Jones, em entrevista à HBO Sports. Finalista olímpica dos 100m com barreiras em 2008 (liderava, mas terminou em 7º, depois de bater na penúltima barreira), Lolo disse que sempre recebe propostas do tipo “depois de fazer sexo, você correrá mais rápido”. Por enquanto, disse que tem resistido e que sexo, só depois do casamento (durante, o padre pode não gostar...).
 Ela garante que se manter virgem é mais difícil que terminar a faculdade, ou treinar para as olimpíadas. Se para ela tá difícil, imagine para a classe média...



Um Dia Ela Chega II

Bom, balanço do problema: uma lesão muscular que atacou da virilha às costas, causada pela forma como fiz meu treino sábado. Ao pular as poças, saltando de lado, forcei e causei a lesão.

Lição: corra em linha reta, e evite subir e descer calçadas durante a corrida, isso também pode causar gerar o mesmo problema. Tem coisas na vida, que aprendemos da pior maneira possível.

Melhorando, aos poucos, e agora que fui ao fisioterapeuta, posso tomar relaxante muscular - evitei para não mascarar os sintomas.

Mas vai dar pra correr a Fila. O meu pavor era que fosse um problema, tipo: na cabeça do fêmur, etc., e além de comprometer Floripa, comprometesse a corrida como um todo. Lesão muscular?  Já estou achando lucro.








terça-feira, 22 de maio de 2012

Alguns Números


Ontem, como estava lesionado, em vez de correr na rua, fiz o treino na esteira. Pensei e lembrei que, em 11 meses de corrida, nunca havia corrida na esteira por mais que 7 minutos (apenas para aquecer antes da musculação). 

Nunca tive paciência, é monótono , a paisagem não muda. Mas é importante, uma alternativa em dias de chuva (e como chove em Salvador desde a semana passada), e complementa os treinos, eu é que nunca investi nessa opção.

Então ontem foi meu primeiro treino pra valer na esteira. E comecei a pensar, procurar, e lembrei de outra estréia: a Fila Night Run será minha primeira corrida noturna. Foram 4 ano passado, todas no 2o semestre (comecei em junho), e apenas uma (Circuito das Estações) esse ano.

As do ano passado todas de 5K, e esse ano pretendo que sejam todas de 10 em diante (mas até 21K, ok?). Quis o destino que todas tivessem sido de dia (em Salvador, são poucas opções de corridas noturnas, a Fila Night Run do ano passado aconteceu antes de eu começar a correr.

E mais outra estatística: nunca fiz 10K à note. Pois, é. Isso porque os longões são aos sábados pela manhã, e durante a semana, os treinos são, ou regenerativos, ou de até 7,5K.

Além disso, depois de um dia de trabalho estamos mais cansados e onde corremos não ajuda, pois as calçadas e trânsito comprometem o desempenho (sim, temos poucas opções).

E eu acho isso bom, porque essa corrida não representa um grande desafio - correr 10K já não é algo novo (aos sábados são 14, 16K) - e fazer a 1a corrida noturna pelo menos estimula por ser algo diferente. Vale também, por estarmos há algum tempo sem corridas expressivas e pela festa que é o pós-corrida.

Vou aproveitar o clima ameno para baixar o tempo.

Vamos em frente!