Total de visualizações de página

domingo, 29 de abril de 2012

Day After

E o treino de ontem cobrou o preço.

Não teve jeito: nem panqueca (proteína da clara do ovo), Whey, almoço, nada. Bateu uma fraqueza, um sono... resisti pela manhã com uma panqueca e a Whey, pela tarde com o almoço, dormi no cinema com os meninos, e de noite, nem jantar nem nada, foi cama direto.

O que mostra que não era pra acontecer o longão. Estou começando a achar que essa gripe na verdade, foi uma bela de uma virose - no caso, pagou todos aqui em casa. E muita gente caiu mesmo, pelo que conversamos por aí.

Mas está terminando, está no fim.

Que não sirva de exemplo, mas com essa brincadeira, lá foram cerca de 2Kg. Fui, pela 1a vez, abaixo da meta de peso estabelecida. Mesma alimentação (um pouco comprometida à noite), e menos treino, mas uma perda constante.

Que pelo menos deixe algo positivo, e que se mantenha assim.

Não, não está assim (kkkk):




Mas também NUNCA esteve assim:






Melhor continuar assim:






E vamos em frente, pois pra frente é que se anda....



Retorno Light


Essas duas últimas semanas foram difíceis. Semana retrasada só treinei um dia, porque a gripe veio pesada, e na passada, a correria do trabalho e o resto da gripe só me deixaram um dia livre. Mesmo assim, foi um treino duro, ruim, puxado.  E foi justamente num dia de ladeira.

Então, estava na hora de voltar aos trabalhos. Como na semana passada não fiz os 14K, pois a gripe não deixou, esse sábado eram 8,4, mas resolvemos manter os 14. 

Acontece que começamos às 07:10, o sol não deu trégua, o corpo ainda estava se recuperando e esses dias sem treinar, cobraram, logicamente, o preço. Na Authentic, Flávio sugeriu que fizéssemos um regenerativo em função dos dias sem treinar, mas apostamos no longão, bem light.

Saímos do Aeroclube rumo ao quartel de Amaralina, ida e volta, que totalizam 13K, e ajustaríamos o km final na volta. Eu, Lorena, Tiago e Viviane.

Mas começou arrastado, corpo duro, pernas pesadas, aquele sol sem uma única nuvem no céu. Quando chegamos em Amaralina (5K), paramos para alongar e tínhamos que resolver se iríamos em frente até o quartel, ou se voltávamos dali. Decidimos seguir. Mas estava difícil: qualquer limpeza nos óculos, ou água, era motivo para andar um pouco.

Na volta, arrastando, decidimos chegar nos 10K e caminhar o restante. Já havia acabado a água, o Gatorade, a paciência e as forças.

Não vejo a hora de voltar ao ritmo, e seguir firme nos treinos rumo aos 21K ! 



domingo, 22 de abril de 2012

A Epopéia do Garmin

Já contei sobre o problema que tive com meu Garmin Forerunner 610Na verdade, problemas, pois tanto o meu, quanto o de Lorena apresentou problema.

Conforme contato, enviei o meu Garmin para eles pelo FedEX. Demorei um pouco para fazê-lo, pois era formulário que não acabava mais, por causa de Receita Federal. Ele foi recolhido em Salvador 02/04/12, e ficou no Brasil até 09/04, quando foi liberado pela Receita para envio aos EUA. 

E como as coisas funcionam quando o governo ajuda! Partiu do Brasil 09/04 e no dia seguinte, já estava na sede da Garmin! Como ela havia me dito, problemas como o meu não são reparados, e sim substituídos. E assim, aconteceu. Cerca de 7 dias úteis após, a DHL já estava me ligando para informar que estava com minha remessa em Salvador.

Eu enviei apenas o relógio, sem cinta, transmissor, nenhum acessório, e eles mandaram um novo com TODOS os acessórios, como comprado em loja:






O problema, é que, só de imposto de importação + ICMS, foram R$ 730,00. Se considerarmos que um no Mercado Livre (sim, porque na loja é covardia comprar), o preço varia de R$ 990,00 a R$ 1.200,00, pode parecer pouco, mas eu já havia pago o preço de um novo, logo, o valor ficaria proibitivo.

E nesse meio tempo, compramos um Polar RCX5. Assim, além de não precisar de outro, não compensava financeiramente. Ofereci a Tiago, primo de Lorena, que pagasse a importação e frete e ficasse com ele, o que, nesse caso, é um bom negócio.

Resumo da ópera: atendimento da Garmin, nota 10, burocracia e tributos brasileiros, 0. E ainda tenho mais um modelo danificado, que vou fazer um orçamento em S.P. e, se não valer a pena, ou vendo com a avaria, ou mando para os EUA (a Garmin já disse que posso enviar), e alguém assume as despesas.

Continuo achando o Forerunner 610 um excelente equipamento, mas, para mim, ele tem um problema de projeto que faz com que a pulseira se solte, o que pode fazer com que o usuário o perca ou danifique durante o treino. Esse modelo substituído que recebi, por exemplo, quando tirei da caixa, tive que apertar a pulseira, e a estrutura de aço interna começou a aparecer.

Quanto ao problema no meu display, fico com a tese de que foi um azar.

Uma pena, afinal a Garmin é uma das poucas que oferece um aparelho com GPS integrado, o que não acontece com a Polar, por exemplo, que precisa de um acessório externo, no meu caso o G5.

Nessas horas dá uma inveja do american way of life....



sexta-feira, 20 de abril de 2012

Não é Bem Assim

Quando conto aqui dos meus desejos, seja das provas que quero participar e de quão rápido quero evoluir, além da vontade de ir além nos treinos, muita gente vem conversar comigo, alguns preocupados que eu exagere e ganhe uma lesão, outros sugerem que vá mais devagar, além, claro, das "chamadas" que recebo por não cumprir a planilha.


E quando falo muita gente, quero dizer bastante mesmo, cada uma com uma experiência ou conselho para dar. Palavras de carinho, incentivo, preocupação, feed-back.


Léo, Cris e Madson, que acham que a evolução foi muito boa, e não tem porque forçar mais, Priscila, que prefere ir devagar na evolução, para manter o  bom pace e sugere ser mais comedido, Lorena, que, pelas 2 lesões é ainda mais conservadora e trata a planilha de maneira professoral, Ulisses, que perdeu as contas de quantas vezes me perguntou se eu ainda queria receber as planilhas, uma vez que segundo ele, eu não as cumpro (pensa ele).


Tem, claro, o outro lado: aqueles meio malucos que vão junto, como Viviane e Tiago. Mesmo Lorena, que quando está bem e animada, extrapola o programa.


Mas, vamos colocar em perspectiva. O que é extrapolar? Quanto isso pode ser considerado desobediência?


Por exemplo, sábado passado, eram 12K, fiz 13. Achava que podia, queria ir mais rápido rumo à Floripa, e aconteceu. Minha meta eram 14K, mas resolvi parar nos 13. E daria tranquilo.

10/03, seriam 10K, fiz 5. Assim, no dia seguinte, fui sozinho fazer meus 10K. Alguns domingos, quando a Authentic programa um treino, eu vou.


Entende? Queria eu, extrapolar tanto assim, para merecer os puxões que recebo. Por que, na verdade, uma lesão pode ocorrer aos 8, 12 ou apenas nos 15K, não existe uma regra mágica que determina O ponto ideal (e é nisso que me seguro). Dois dias de treino seguidos? 1 ou 2K a mais? Sabe?


Sim, claro, é preciso entender o conceito - e importância - de um programa. Não é o Km a mais, e sim a atitude com relação à disciplina. Quando comecei a correr, sofri muito antes de chegar nos 2K, achava que não chegaria nunca nos 5K. Quando atingi a marca, veio a dor na costas que me fizeram patinar nos 6K por muito tempo. Era sofrível começar sem saber se iria concluir o treino. Mesmo os 10K foram instáveis. 

Agora que as costas não ameaçam mais como antes, é como eu queria estar desde o início, e, se isso acontecesse, evoluiria mais rápido, mas a vida não é exatamente como queremos, e sim como ela de fato, é. Mas tanto treino assíduo, musculação, fisioterapia, tinham que resultar em crescimento consistente, não é?


Por isso, é como se eu corresse atrás do tempo perdido até chegar nos 21K. Aí, fico na minha, administrando os treinos, trabalhando para ser liberado pra fazer meus longões seguidos, e para melhorar o pace. E serei feliz com as minhas 2 Meias anuais.


Ou até quando aparecer algum negócio interessante. . . tem uma tal de Comrades, a da Muralha da China. . . brincadeirinha.



E aí, bora correr?









Molho Forçado

Semana ruinzinha, essa. 

Segunda, terminei a musculação tarde, tinha um aniversário, nada de corrida. 

Terça, tudo certo. 

Quarta cheguei tarde na musculação, nada feito. 

Quinta, gripe feroz, cama. 

Sexta, nada de musculação também, a gripe piorou. 

Sábado idem. Molho total.

Mas, para frente é que se anda, começa uma nova semana, e vamos dar a volta por cima.







quinta-feira, 19 de abril de 2012

O Treino Que Nunca Aconteceu

Quando eu corria 5K, quase indo pros 6,5, conversando sobre lugares alternativos para corrermos, me lembrei que, quando tenho que enviar algum documento urgente pro pessoal em Fortaleza, mando pela TAM, serviço próximo vôo, que chega até 12:00 do dia seguinte.

Para chegar lá, tenho que ir ao galpão de carga onde fica a TAM, GOL Log, e Correios. E para isso, pega-se uma pista onde quase não passa carro, uma leve descida (ou subida vindo dos galpões) com acostamento ideal para uma pessoa, com folga, em ambos os lados. Um dia, marquei a distância desse "tapete de corrida": 5,5K ida e volta, ideal para meu treino naquele momento!

Obviamente, me veio à mente essa opção quando pensamos em treinar num lugar alternativo.

Surpreso, o pessoal começou a perguntar como era, coisa e tal, achando estranha e inusitada a sugestão. E as críticas foram avassaladoras: 

" Perto do aeroporto? Não é muito longe, não?" 
" Quase não passa carro? Acho meio perigoso..."
" Tanto lugar mais perto e com uma vista melhor..."

De tanto criticarem - até dentro da fronteira doméstica - fui deixando o sonho para a semana seguinte, depois a outra, e a outra... E um belo dia, treinando 10, 12K, me peguei pensando em como ia fazer meu treino de sábado num percurso de 5,5 sem dar várias voltas, coisa que detesto.

Ou seja: perdi o timing do meu treino e não vejo mais sentido, hoje, em fazê-lo. De qualquer forma, deixo um vídeo para que vocês vejam como eu tinha razão (ou não):



video







quarta-feira, 18 de abril de 2012

II Sessão Científica do DEFIC

Pessoal,

Acontece amanhã, quem se interessar, ainda dá tempo:





Por Que Você Corre?

Semana passada, escrevi um post sobre um vídeo que encontrei na Runne's World, de um corredor argentino, que achei simplesmente ótimo.

De lá pra cá, assisti ao vídeo  várias vezes prestando atenção ao texto, que, como disse, gostaria de ter escrito, pois me identifico com cada palavra.

Nele, tem uma frase em especial, que merece ser realçada: "Corro, porque minhas pernas são o instrumento que me ajudam a superar as barreiras que minha mente me impõe".

E como nossa mente é fundamental para atingirmos nossos objetivos! Quantas vezes as pernas "cansam" porque a mente manda? E quantas vezes tiramos forças que nem sabíamos que tínhamos, porque nossa cabeça está bem e nos leva adiante?

E quanta simbologia nessa frase, onde as pernas passam a ser vistas como a ponte para realizarmos nossos desejos...


Que nossas pernas nos levem cada vez mais a conquistarmos nossos objetivos e superarem as barreiras que nossa mente nos impõe.













terça-feira, 17 de abril de 2012

Circuito das Estações Adidas Salvador Inverno

As inscrições para o Circuito das Estações Adidas Salvador Inverno, já foram abertas.

Será 12/08. 5 e 10K.

Quem vai?















sábado, 14 de abril de 2012

13K !

Hoje a planilha mandava 12K. Semana passada, eram 8,4 e fizemos 12. Então era a hora de ser bom menino, e fazer certinho. 

Só que o tempo estava bom (nublado), tudo em cima, e a coisa foi bem tranquila. Eu queria mesmo fazer os 14K, que estão programados para sábado que vem, que é para poder chegar logo nos 18K, e ficar mais tranquilo para a Meia de Floripa.

Mas, como disciplina e planejamento é fundamental, não podia me "espalhar" como gostaria, só que ainda queria passar daqueles 12K que estavam ficando "velhos e empoeirados". E bati nos 13K.

Iria até os 14K sem problemas, mas resolvi burlar o treino o mínimo possível - como se fosse colar - e dei somente uma "subidinha". Me senti bem, sem as costas atrapalhando, corpo respondendo bem, hidratação OK, pronto para o que viesse. E foi ótimo, porque dá pra sentir  que, com o corpo bem, dá pra chegar bem mais longe. E isso é fundamental para a evolução que preciso para encarar Floripa.

Você sente que dá, que vai chegar lá, mas, por via das dúvidas, quer que chegue logo, para poder  ficar mais calmo.

Mas vamos em frente, acreditando que é possível, e que tudo vai dar certo.


sexta-feira, 13 de abril de 2012

Contagem Regressiva Rumo a Floripa! Faltam 2 meses !

Ontem recebi esse e-mail, com o singelo título: A Meia de Floripa Está chegando! Prepare-se.






Juro que estava até tranquilo, sem nem sequer marcar no calendário a data da prova (17/06), mas quando vi o e-mail, foi como aquele aluno que tem uma prova, não estudou, e quando acorda no dia, bate aquele peso. A diferença, é que, ao contrário dele, eu estou fazendo meu "dever de casa" direitinho. Ou quase... rsrs.


17/06... há quase exatos 12 meses, comecei na Authentic (14/06) correndo 1 minuto e andando 5, depois caminhando 240m e trotando 200. Três meses depois, estava correndo 3K. E daquele 1 minuto de trote, hoje são 94 minutos diretos (12K).

Bom, mas daqui a dois meses, terão que ser 21K. E desse sábado a oito, chego nos 14K. Diz uma corrente, que para correr uma meia, você não precisa fazer antes necessariamente 21, chegando a 16 ou 18, é o suficiente. Minha corrente é a de que, correndo os 21, vou mais confiante, pois sei que basta repetir o que já realizei. Questão de perfil mesmo.

Maio chego nos 18K. Bem, aí veremos. Hoje, 12K me rendem cerca de 3 dias sentindo os efeitos colaterais, mas tudo bem, há pouco tempo, correr 10K me deixava exausto, e agora termino 12 e vou passear.

Eis a imagem que olho todo dia, e me faz seguir com FOCO, DETERMINAÇÃO e DISCIPLINA: 






Agora não tem volta. Passagem comprada, hotel reservado, inscrição feita, só existe um caminho: rumo aos 21K e além!

Sabe lá Deus aonde isso vai dar, mas  acho que será divertido..



quinta-feira, 12 de abril de 2012

Uma Reflexão...


Quem corre, não precisa explicar, simplesmente, sabe.

Mas, mesmo assim, muitas vezes, nos perguntamos, e cada qual tem os seus motivos. Esse vídeo, encontrei hoje na Runner's World Brasil e achei realmente interessante e completo. Há quem vá achá-lo um tanto piegas, mas o saldo final é bem positivo.

Feito por um corredor argentino (legendado), é uma reflexão sobre uma pergunta recorrente: "Por que corremos?". Eu gostaria de ter escrito algumas destas respostas, mas alguém, felizmente, o fez.


São 7 minutos que não percebemos passarem. Enjoy it !




sábado, 7 de abril de 2012

Longão de Páscoa

Imagine a cena: sábado, véspera de Páscoa, atividades da Authentic suspensas, cidade vazia por causa do feriado.

Claro que não ia deixar de rolar um treino, né? Assim, convidei o pessoal do grupo pra um longão. Confirmaram Cris, Madson, Tiago e Viviane.

Saímos do Jd. de Alah 06:40 rumo ao Farol da Barra, exatos 12K (a planilha mandava 8,4K para mim e Lorena e 5,5K para Tiago).

Sol mostrando sua cara, a coisa não ia ser fácil. Em algum momento da metade em diante, ele deu uma trégua. Madson e Cris foram na frente, o pace deles é respeitável, pelo menos para nós. E seguimos firmes e fortes rumo a Barra.

O trânsito estava bem tranquilo, a cidade parecia um paraíso. Paramos quase no final, num posto, para comprar mais água (foram 500 ml de Gatorade e 500 de água) e terminamos nosso percurso com forças renovadas.

Aproveitamos para dar um mergulho no porto:



Tiago, Lorena, eu, Vivi e Cris





Tiago, Lorena, eu, Cris e Madson



Surgiu a idéia de subirmos a Ladeira da Barra depois do banho, mas ficou para sábado que vem. E aí, que saímos procurando um lugar para tomar uma cerveja ( ! ), mas, às 10:00 da manhã, não foi possível, mesmo depois de andarmos 1,5K. O jeito foi voltar contemplando a orla e tomar uma água de côco no ponto de partida.

E como o horário permitia, encontramos um restaurante aberto, e aproveitamos para matar e sede e a fome...

Feliz Páscoa e bons kms a todos!



sexta-feira, 6 de abril de 2012

Um Review que Nunca Aconteceu....

É a vida, é a vida....

Quando começamos a correr, eu e Lorena procuramos um aparelho que nos ajudasse nos treinos e permitisse salvar as informações para acompanharmos nossa evolução. Como gostamos de tecnologia (a Apple que o diga), pesquisamos bastante e ficamos entre dois modelos: Garmin Forerunner 610 e o Nike SportWatch. Descartamos a Polar, uma das maiores fabricantes, pois o design não nos atraiu, bem como a interface.

Bom, depois de muito pesquisar e ler opiniões, optamos pelo Garmin 610 (até porque o Nike havia sido lançado há bem pouco tempo). Nossa análise foi a de que ele ainda não estava no mercado tempo suficiente para termos alguma segurança quanto ao seu desempenho, além da Nike estar há pouco tempo no mercado. E o que ela sabe fazer bem, é artigo esportivo.








Quanto a Garmin, ela tem um nome forte na fabricação de GPS e tudo indicava que, sem dúvida, era a melhor escolha. Dentre todos os modelos, escolhemos o 610 por ser o mais novo e ter uma tela touchscreen. Nem estava à venda nas lojas aqui no Brasil, e compramos pelo Mercado Livre.





E tudo correu muito bem. Ele tem uma grande vantagem sobre os modelos da Polar: vem como GPS integrado, dispensando o uso de um acessório para fornecer distância, percurso, etc. Transferimos os dados do treino para o site, que disponibiliza todas as informações, histórico, consolidado ou detalhado. O pessoal da Authentic Run ainda não conhecia e depois de nós, cerca de 3 pessoas compraram o modelo (se você considerar o preço nada doce, é um número considerável). 

Só que, um dia, o display do meu começou a falhar, apagando de forma intermitente. Entrei em contato com a Garmin nos EUA (quem tem boca vai a Roma), e mandaram atualizar o software e reinstalá-lo. Não funcionou. A Garmin perguntou onde eu havia comprado para poder enviar para a loja. Como fiz a compra pelo Mercado Livre, o jeito foi mandar para a Garmin para eles analisarem e mandarem outro. Pois, é, lá a coisa funciona mesmo.


Só que, para que eu receba o modelo substituído, vou ter que pagar o imposto de importação (cerca de R$ 500,00). Dureza.... Mas, ia levando a vida com o de Lorena. Como corremos juntos, um cumpre, provisoriamente, a função. Mas observei que a pulseira deste segundo modelo estava folgada e, esta semana, caiu com o visor virado para o chão e quebrou uma ponta do display. Tudo funcionando perfeitamente, mas...


A Garmin, contactada novamente, pediu para que eu enviasse para verificação e troca, mas, sinceramente? Gastar R$ 105,00 de FedEx mais R$ 500,00 para importar? Preferi vender aqui mesmo. Estou levantando o preço de um novo display para saber se vale a pela trocar e vender por um valor maior.


E assim, terminou minha experiência com a Garmin. Sim, o modelo que mandei para ser trocado, assim que receber, vou vender, novinho e zerado. Mas, para mim, já deu. Foi muito bom enquanto durou, o serviço no site é ótimo, ele é bonito e discreto, a bateria dura 8 horas, o que permite uma semana de treino sem preocupação, enfim, para mim, é como um aparelho a Apple: SE funcionar bem como prometido, é fantástico, a diferença, é que os gadgets da Apple, de fato, cumprem sua função, e o Garmin pecou 2X comigo.


Bom, assim que receber o novo modelo que vai substituir o Garmin (com garantia e tudo o que temos direito), mostro para vocês, e depois faço um review. Espero que esse aconteça mesmo.


Boa Páscoa para todos!





terça-feira, 3 de abril de 2012

As Corridas Que Quero Participar (até agora)

Quando eu corria apenas 3K (e o fiz antes do planejamento da planilha), Ulisses me inscreveu numa prova de 5K do Circuito da Estações - etapa  Primavera, em 18/09/11. Eu andei e corri, mas senti o clima e nesse mesmo ano, fiz mais 3 provas.

No começo desse ano, quando ainda nem corria 10K, me inscrevi na Meia de Floripa. Foi uma forma de estabelecer uma meta e evoluir rápido e de forma consistente. Eu acho que sou meio agoniado mesmo, mas vida sem emoção, é como Coca-Cola choca.

Assim,  comecei a olhar algumas provas para conciliar com as viagens que gosto de fazer. E nessa pesquisa, encontrei algumas que tracei como meta realizá-las.

São elas:

Golden Four Asics (http://www.asics.com.br/golden4asics). É considerada umas das melhores, senão a melhor Meia do Brasil, com os melhores tempos e uma organização reconhecidamente competente. São 4 provas em BH, Rio, S.P. e Brasília. Se eu fizer uma delas esse ano ainda, será a de Brasília.

Moutain Do (http://www.mountaindo.com.br/). São provas fora das cidades, em lugares de rara beleza e, mais uma vez, com uma organização muito elogiada. Não escolhi qual delas ainda, e nem faz tanta diferença, a que se encaixar na minha agenda, eu vou. E tem percursos de 5, 9 e 18K, ou seja, você faz a que quiser, sem precisar de tanto planejamento.

Meia Maratona Glacial (http://maratondelglaciar.com/). Essa é um sonho! Em meio à Patagônia Argentina, precisa dizer mais? Se precisar, basta dar uma olhada no site e se maravilhar com as fotos. A desse ano, ocorre em abril e eu não tenho como correr 21K ainda, mas já pedi para me informarem a data de 2013.

Claro que existem outras, como a da Muralha da China, a Meia Maratona das Cataratas, inúmeras, enfim. Mas quem tudo quer quase nada alcança, certo? É preciso ter foco, realizar aos poucos, para ir sonhando com a próxima etapa. 

E vocês, quais são as preferidas?



segunda-feira, 2 de abril de 2012

Fila Night Run SSA

Para quem vai participar da Fila Night Run Salvador, as datas de entrega do kit já foram divulgadas (http://nightrun.com.br/salvador/#!ssa-informacoes), e com bastante antecedência.

Para quem ainda não se inscreveu, ainda dá tempo. 

Percurso diferente das que acontecem no Jardim de Alah, e à noite, com direito a show após a prova.


Vamos nessa?





domingo, 1 de abril de 2012

Domingão

É uma questão de cortesia.

O pessoal acorda cedo, monta a tenda em pleno domingo, seria uma tremenda indelicadeza não comparecer (rs,rs).

Então hoje rolou um regenerativo de 30 min. E foi bom, porque fiz 4,5K.  18/03 foram 5K em 35 min., a evolução na velocidade média foi de 8,6 para 9 km/h. E tranquilo, sem sentir o longão de ontem. Até faria mais, porém achei melhor ser mais obediente.

5K em 30 min. será um divisor, e acontecerá em breve, mais por satisfação pessoal, pois as distâncias crescentes fazem com que tenhamos que ser mais comedidos (pelo menos funciona assim comigo).

Na volta, nem lembrava mais da corrida do Salvador Shopping quando passei por ele e vi as grades de proteção. LEMBREI ! E vi o pessoal passando... correndo... feliz... 

Ok, não havia muita gente (limitaram em 1.000 participantes), não deu pra ver a camisa do kit (muita gente usando a que quisesse), mas nada que chamasse a atenção. Enfim, nada assim, uma Brastemp, mas deu um aperto não estar lá...Tem massagem no final, café da manhã, uns mimos para fazer e criar um programa regular de corrida, que espero funcione e se torne mais uma opção na cidade.

Passei lá às 07:29 e algumas pessoas já estavam na reta final dos 5K (com certeza algumas já haviam cruzado a linha de chegada). Pensei: "Se estivesse correndo aqui, daria para me ver nessa reta, com o tempo que fiz hoje no treino". 

Tá, isso não acontece  de novo, prometo.


Bom domingo a todos !